MenuJC Concursos
Busca
Últimas Notícias | | Empregos | Sociedade | youtube jc | WEBSTORIES

Planos de governo estarão presentes no debate da Band. Confira destaques

Os candidatos participam do primeiro debate presidencial das Eleições 2022, neste domingo (28) às 21h, na Band; conheça os planos de governo

Urna eletrônica brasileira
Urna eletrônica brasileira - Canva - Palnos de governo dos candidatos à presidência
Jean Albuquerque

Jean Albuquerque

[email protected]

Publicado em 28/08/2022, às 11h20

WhatsAppFacebookTwitterLinkedinGmailGoogle News

A corrida eleitoral já deu a largada nas ruas, na TV e neste domingo (28) às 21h, acontece o primeiro debate presidencial das Eleições 2022, na Band. Estarão lado a lado no estúdio da emissora os candidatos: Felipe D’Avila (Novo), Soraya Thronicke (União Brasil), Simone Tebet (PMDB), Jair Bolsonaro (PL), Luiz Inácio Lula da Silva (PT) e  Ciro Gomes (PDT).

Diante do cenário complexo por conta do aumento da fome enfrentado pelos brasileiros entre 2019 e 2021 e 15,4 milhões sofrendo de insegurança alimentar grave, segundo a Organização das Nações Unidas (ONU). Os planos de governo estarão presentes durante a sabatina dos candidatos que acontece hoje. Abaixo, você confere o programa de governo dos quatro candidatos mais bem colocados nas pesquisas. 

++++ Bolsonaro minimiza cenário de fome no Brasil e diz que não vê ninguém “pedindo pão”

Veja planos de governo dos candidatos 

O melhor colocado nas pesquisas, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) diz que em seu governo a população brasileira que sofre com a fome terá prioridade em seu governo. 

Para acabar com esse problema, Lula e Bolsonaro citam a capacidade do Brasil em produzir alimentos. Outro ponto do programa do candidato petista trata da ampliação e renovação do Bolsa Família, além da recuperação de uma das suas principais características: "ser referência mundial de combate à fome". 

No plano, não há menção ao Auxílio Brasil, que substituiu o Bolsa Família no final de 2021. Em relação a agropecuária, o ex-presidente vê como saída para o país a produção do campo como maneira de alcançar a segurança alimentar. E destaca uma "agricultura e uma pecuária comprometidas com a sustentabilidade ambiental e social".

No tocante à reforma agrária, Lula diz que concederá apoio a pequena e média propriedade rural. Neste caso, em especial à agricultura familiar. Menciona a soberania alimentar ao adotar "um novo modelo de ocupação e uso da terra urbana e rural". 

Equilíbrio entre a demanda nacional e as exportações de alimentos 

Já o atual presidente, Jair Bolsonaro (PL), em seu plano de governo, dá destaque ao equilíbrio entre a demanda nacional e as exportações de alimentos. Sobre a pandemia e guerra, o candidato à reeleição diz que irá "manter e implantar políticas públicas que mitiguem efeitos da inflação mundial que se vive em função da pandemia e do conflito entre a Federação da Rússia a Ucrânia", no sentido de que a população possa retornar ao poder de compra. 

Gás de cozinha mais barato 

No seu plano de governo sobre o Programa Alimenta Brasil, ele diz que pretende reforçar a sua aplicação, que tem como principal foco comprar alimentos produzidos pela agricultura familiar. O presidente menciona a distribuição de alimentos a populações vulneráveis, como indígenas e quilombolas. 

O terceiro colocado nas pesquisas, Ciro Gomes (PDT) destaca em seu plano de governo que a fome e a miséria estão se tornando um problema crônico para o país. Propõe o programa de renda mínima, que engloba os valores do atual Auxílio Brasil, do seguro-desemprego e da aposentadoria, para criar um programa batizado de Eduardo Suplicy. O ex-ministro também menciona gás pela metade do preço para as famílias que vivem com até dois salários-mínimos mensais. 

Missão do governo é acabar com a fome 

A quarta colocada nas pesquisas, a senadora Simone Tebet (MDB), cita em seu plano de governo os 125 milhões de brasileiros que estão em algum nível de insegurança alimentar e diz que o seu governo tem a missão de acabar com a fome. 

A candidata emedebista pontua ainda transferência de renda permanente, ou seja, recebimento de valores que estão condicionados à frequência na escola, saúde preventiva e vacinação em dia. 

+++ Acompanhe as principais informações sobre Sociedade e Brasil no JC Concursos

Siga o JC Concursos no Google NewsSociedadeBrasil

JC Concursos - Jornal dos Concursos. Imparcial, independente, completo.