MenuJC Concursos
Busca
Últimas Notícias | | Empregos | Sociedade | youtube jc | Cursos Gratuitos

Governo federal irá lançar programa para estimular compra de carros novos

No início do mês, Lula criticou os preços praticados no Brasil de carros novos que partem da faixa de R$ 70 mil

Governo federal irá lançar programa para estimular compra de carros novos
Freepik
Victor Meira

Victor Meira

[email protected]

Publicado em 24/05/2023, às 22h01

WhatsAppFacebookTwitterLinkedinGmailGoogle News

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva e o vice-presidente e ministro do Desenvolvimento, Indústria, Comércio e Serviços, Geraldo Alckmin, divulgaram um novo programa de estímulo à indústria automotiva. O objetivo declarado pelo governo é ampliar o acesso a veículos populares e impulsionar toda a cadeia produtiva relacionada ao setor automobilístico brasileiro. 

A expectativa é a ampliação da venda de carros novos para a população mais carente do Brasil. 

De acordo com a Secretaria de Comunicação Social da Presidência da República, o lançamento oficial do programa ocorrerá no Palácio do Planalto na manhã desta quinta-feira (25), data em que se comemora o Dia da Indústria.

+FGV oferece mais de 100 cursos gratuitos em diversas áreas do conhecimento

Mais cedo, o ministro da Fazenda, Fernando Haddad, informou aos jornalistas que o programa foi elaborado pela equipe econômica, sob a coordenação de Alckmin, a pedido do presidente Lula. No entanto, não foram fornecidos detalhes específicos sobre as medidas que compõem o programa.

Lula critica os preços dos carros no Brasil

Durante um discurso proferido em uma reunião do novo Conselho de Desenvolvimento Econômico e Social Sustentável no início de maio, o presidente Lula expressou duras críticas aos preços dos veículos brasileiros. Ele questionou a capacidade dos pobres de adquirir um carro popular por R$ 90 mil e destacou que um veículo nessa faixa de preço não pode ser considerado popular, mas sim destinado à classe média.

Lula ressaltou que, atualmente, os carros mais baratos disponíveis no país, como o Fiat Mobi Like e o Renault Kwid Zen, têm preços em torno de R$ 68.990. No entanto, a maioria das versões mais vendidas e procuradas situa-se entre R$ 90 mil e R$ 100 mil.

Diante dessa situação, há alguns meses, surgiram conversas entre as montadoras e o governo para a criação de um programa de incentivos voltado aos carros populares. Liderado pela Stellantis, em especial pela Fiat, o projeto busca reduzir os preços dos veículos no Brasil com a colaboração do governo.

+Processo Seletivo Prefeitura de Boa Vista RR abre 1.294 vagas na Saúde

Vale destacar que, no passado, a Fiat foi responsável por impulsionar a mudança na tributação dos carros com motor 1.0, criando uma nova categoria de veículos populares. Por outro lado, a Volkswagen pressionou pela mesma legislação com o objetivo de incentivar a produção de veículos refrigerados a ar, como o Fusca, que não oferecia a opção de motor 1.0.

+

Embora Lula não tenha fornecido detalhes específicos sobre essa nova ideia, ele ressaltou que um carro popular deve ser mais acessível e simples. Além disso, o presidente destacou que a população não gosta do termo "popular", pois acredita que ele sugere uma inferioridade.

"Quando falamos em comprar um carro popular, uma geladeira popular, um fogão popular, tudo parece rebaixar a gente. Então, por que usar a palavra 'popular'?", questionou Lula.

+Governo Lula descarta uso do FGTS para reduzir preços de carros populares

É importante ressaltar que mais informações sobre o programa de estímulo à indústria automotiva serão divulgadas durante o evento de lançamento no Palácio do Planalto. A expectativa é que as medidas anunciadas visem não apenas tornar os veículos mais acessíveis, mas também impulsionar a produção e o desenvolvimento do setor automobilístico brasileiro.

+++Acompanhe as principais informações sobre Sociedade e Brasil no JC Concursos

Siga o JC Concursos no Google NewsSociedadeBrasil

JC Concursos - Jornal dos Concursos. Imparcial, independente, completo.